A consultoria INTL FCStone elevou as previsões para as safras de soja e milho do Brasil em 2014/2015 em virtude dos ajustes nos números de produtividade de soja em alguns Estados e das condições favoráveis ao desenvolvimento da segunda safra de milho. Quanto à soja, a FCStone aumentou a estimativa de produção brasileira para 94,00 milhões de toneladas. Em abril, a consultoria havia previsto 93,61 milhões de toneladas.

Em Mato Grosso, com a colheita já finalizada, foi verificado rendimento maior do que o esperado inicialmente, conforme a FCStone. “Apesar das variações entre as regiões do Estado, causadas pelo clima irregular, a produtividade histórica foi superada em algumas delas, puxando a média para cima”, informou o relatório divulgado pela consultoria. Por outro lado, no Mapitoba, região que abrange os Estados de Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, os problemas climáticos afetaram negativamente as lavouras de maneira mais intensa do que a inicialmente esperada.

A produtividade média no Brasil foi estimada em 2,99 toneladas por hectare, acima das 2,98 toneladas por hectare da projeção anterior.

Milho
Em relação ao milho, a FCStone salientou que as perspectivas são bastante favoráveis para a safrinha mesmo após os atrasos ocorridos no plantio, com parte das lavouras sendo semeada fora da janela ideal. “Previsões indicam um maior volume de chuvas no inverno e temperaturas um pouco mais altas, diminuindo o risco de geadas, o que deve garantir boas produtividades e uma elevada produção”, ressaltou a consultoria.

A previsão de colheita de milho de inverno foi elevada de 46,47 milhões de toneladas para 49,00 milhões de toneladas depois de ajustes para cima nas expectativas de área e rendimento. A estimativa para a safra de verão do cereal foi mantida em 29,04 milhões de toneladas.

A FCStone projeta agora a produção total de milho do País em 78,04 milhões de toneladas. No mês passado, a previsão era de 75,51 milhões de toneladas. A estimativa de produtividade média no Brasil, considerando as duas safras, foi elevada de 4,99 toneladas por hectare para 5,10 toneladas por hectare.