Os preços do arroz em casca oscilaram pouco nos últimos dias no Rio Grande do Sul, mas o ritmo de negócios tem sido lento. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (15/4) pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

“Boa parte dos orizicultores tem expectativa de aumento no preço nas próximas semanas. Com isso, disponibilizam poucos lotes de arroz”, dizem os pesquisadores, em nota. Segundo eles, o produtor prioriza a colheita do cereal e da soja. E, para compor o caixa, dão preferência às vendas da oleaginosa e do boi gordo.

De outro lado, as indústrias alegam que estão baixos os preços de venda do fardo de arroz beneficiado aos grandes centros. Desta forma, evitam ceder a valores mais altos, o que é feito apenas para volumes destinados a cumprir contratos de curto prazo.

Diante da situação, o indicador do Cepea com base no mercado gaúcho, maior produtor nacional, caiu 0,4% entre os dias 7 e 14 de abril. A cotação fechou em R$ 35,72 a saca de 50 quilos na terça-feira (14/4).

Fonte: Revista Globo Rural