O presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), Gilson Pinesso, disse acreditar que não haverá dificuldades na liberação de medidas de apoio à cultura, como o leilões de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro). Pinesso participou do Clube de Fibra, encontro de representantes do setor organizado pela multinacional FMC, em Buenos Aires, capital da Argentina.

“As lideranças do setor estão mobilizadas”, disse Pinesso, comentando que os preços atuais estão abaixo do mínimo oficial, que é de R$ 54,90 por arroba.

Nesta semana, o Ministério da Agricultura informou a Globo Rural que medidas de apoio ao algodão já estão sendo discutidas com o Ministério da Fazenda. Mas não detalhou quais alternativas estão em avaliação.

Também participando do evento, o sócio-diretor da Agroconsult, André Pessoa, destacou que, em funçaõ das eleições, o processo de aprovação de medidas fica mais lento. No entanto, disse que “mais cedo ou mais tarde”, elas vão sair.

“A discussão já deveria ter chegado no Ministério do Planejamento, mas o processo ainda está no início”, disse André.

Ele acredita que a intervenção do governo no mercado de algodão será necessária também no ano que vem. Os preços da fibra devem se manter baixos em função dos altos estoques da China.

Fonte: Revista Globo Rural